loader image

Loja 1: (14) 97400-9348

Loja 2: (14) 97400-2340

Seg a Sex: 7:30h - 18h | Sab: 8h - 12h

O impacto da liberação do FGTS no financiamento de imóveis

maxresdefault (1)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

No mês passado, o presidente Jair Bolsonado liberou o saque de parte dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), sob o argumento de que a medida é uma tentativa de tentar desafogar o país de da crise econômica por meio de estímulo do consumo. Mesmo sendo vista de uma maneira positiva pelos trabalhadores, a decisão não foi favorável ao setor de construção civil.

Leia também: Linhas de financiamento para construção: O que pode e o que não pode nas linhas disponíveis

Isso porque o decreto faz diminuir o total de recursos disponíveis para financiamento de programas habitacionais. Isso é um grande problema!

Veja só: Segundo a legislação vigente, pelo menos 60% dos investimentos do FGTS precisam ser necessariamente destinados à habitação popular. É aí que os impactos começam a ser percebidos.

Mas o que isso significa na prática?

Estimativas apontam que para cada R$200 mil de fundo liberado pelo governo, duas moradias deixam de ser construídas. Já imaginou? Se o número subir para R$ 23 bilhões isso significa que 230 mil residências populares não seriam construídas por falta de recurso para financiamento!

De três anos pra cá, mais de 40% das unidades do programa “Minha Casa Minha Vida” foram viabilizadas pelo FGTS. Você sabia disso?

Nesse contexto, fontes ligadas aos órgãos de construção civil garantem que não haverá recursos suficientes disponíveis para a liberação do saque do FGTS. Cálculos sugerem que a maior parte do fundo é investida para gerar rendimentos e o que sobra, é apenas uma reserva de emergência. Sendo assim, a medida pode inclusive, impactar diretamente no aumento do déficit habitacional brasileiro.

Mas como resolver o impasse, sem afetar as categorias envolvidas?

A resposta é: gerando empregos. Somente a valorização da CLT (carteira assinada) será capaz de produzir uma otimização no consumo interno. Dessa forma o processo seria invertido, o país estaria investindo na diminuição do desemprego para aquecimento da economia. Quanto mais pessoas empregadas, mais consumo, e quanto mais carteiras assinadas, mais pessoas recolhem o FGTS, isso quer dizer que a reserva do fundo aumentará de maneira significativa, favorecendo o investimento e aplicação desses recursos para construção de moradias populares!

Entendeu como funciona?

A liberação do saque do FGTS nas atuais circunstâncias, não impacta só o setor de construção civil: vai influenciar diretamente na qualidade de vida do trabalhador. Daquele que deseja ter sua casa própria e vai precisar de um financiamento lá na frente.

Até setembro de 2015 o governo federal havia construído mais de 2 milhões de moradias populares em todo o Brasil. Mesmo assim, o projeto não foi suficiente para conter o déficit habitacional que vem crescendo anualmente.

É neste sentido que a preservação do FGTS se faz tão necessária nessa conjuntura. Ao fazer uma simulação de financiamento, você com certeza, precisará informar ao banco, se está recolhendo o fundo há mais de três anos.

Só por meio do recolhimento do fundo, será possível descontar o valor da entrada na hora do financiamento. Viu só como o FGTS pode te ajudar?
Por isso, é imprescindível estudar, buscar e entender como as decisões do governo afetam nossas vidas! Até a próxima.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram